O Governo do Paraná, por meio do Instituto Fundepar, finalizou nesta sexta-feira (2) a entrega da primeira remessa de 2024 da alimentação escolar para as mais de 2,1 mil instituições de ensino. As aulas retornam nesta segunda-feira (05).

Foram distribuídos mais de 9,5 mil toneladas de itens como açúcar, arroz polido, arroz parboilizado, feijão carioca, feijão preto, macarrão, farinha de trigo, molho de tomate, biscoitos, cereal de milho, milho em conserva, ervilha em conserva, leite em pó integral, manteiga, composto lácteo, sal, seleta de legumes, temperos, farinha de quibe, chá, suco integral, entre outros.

Os estudantes com necessidades alimentares especiais também serão contemplados. Foram entregues também bebida à base de soja, biscoitos sem glúten, flocos de arroz, mistura para preparo de pão sem glúten, cereal de milho, chá e leite em pó instantâneo.

O investimento total nessa remessa, incluindo alimentos não perecíveis e a agricultura familiar, é de aproximadamente R$ 96 milhões, tanto para itens utilizados no preparo das refeições, servidas no intervalo ou almoço, quanto para os que integram o Mais Merenda – programa estadual instituído no segundo semestre de 2022 em toda a rede estadual, que garante três refeições por turno, acrescentando um lanche na entrada e outro na saída.

“O programa de alimentação escolar paranaense é referência nacional e também em outros países, com três ofertas por turno, um lanche na entrada, uma refeição no intervalo e um lanche na saída”, destacou a diretora-presidente do Fundepar, Eliane Teruel Carmona.

De acordo com ela, 100% escolas estaduais são contempladas com alimentos oriundos na agricultura familiar. “E neste ano teremos novidade nos produtos servidos com o arroz orgânico e chocolate em pó com 50% de cacau, além de ofertar proteínas como carnes e ovos, em todas as refeições, cuja a pauta for salgada. É mais uma demonstração do respeito e do compromisso do Governo do Estado com a educação”, afirmou.

Durante todo o ano letivo são quatro remessas para garantir uma alimentação saudável e de qualidade para os estudantes. Além disso, há também distribuição periódica de itens perecíveis (carnes congeladas, pães, ovos, frutas e itens da agricultura familiar), entregues pelos fornecedores diretamente nas unidades.



NA PRÁTICA – O Colégio Estadual Santa Rosa, de Curitiba, já recebeu 4,9 toneladas de alimentos, entre a primeira remessa e o Mais Merenda. São lanches e refeições que serão servidos para quase 1.650 alunos do Ensino Fundamental, Médio e Educação de Jovens e Adultos (EJA).

“Já recebemos quase 5 mil toneladas de alimentos, produtos que atenderão estudantes nos três turnos da escola. São nove momentos de merenda: café da manhã, lanche durante o turno, a refeição principal, mais uma fruta na saída da manhã. À tarde, outra fruta na entrada, refeição, lanche na saída. Na entrada do noturno também são serviços lanches. Nossos estudantes estão muito bem atendidos com essa alimentação”, ressalta Cristiane Basso, diretora do colégio.




FISCALIZAÇÃO E SEGURANÇA – Os gêneros alimentícios não perecíveis – a chamada merenda seca – são entregues pelos fornecedores na unidade armazenadora do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-PR), em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Os produtos são separados, pesados e acondicionados de acordo com o padrão de armazenagem e identificados por escolas, seguindo as guias de remessa emitidas pelo Fundepar, para então serem distribuídos.

Quando chegam à escola, os produtos perecíveis e não perecíveis são verificados quanto à qualidade e à quantidade. Anteriormente, os itens passam, ainda, por uma análise em relação à qualidade técnica e à embalagem, realizada pelo Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), para constatar se estão dentro das especificações exigidas em edital. Para finalizar, eles são retirados das embalagens secundárias, higienizados, armazenados nas despensas e organizados pela validade para serem utilizados no preparo das refeições.