De janeiro a agosto de 2023, o Paraná registrou um saldo positivo de 39.181 novos postos de trabalho ocupados por mulheres, fruto de 534.582 admissões e 495.346 desligamentos, conforme dados do Cadastro Nacional de Empregados e Desempregados (Caged) extraídos pela Secretaria de Trabalho, Qualificação e Renda. É o quarto melhor resultado do País, assim como no resultado geral, atrás apenas de São Paulo (170.118), Minas Gerais (63.468) e Rio de Janeiro (40.607). O País fechou o período com resultado de 548.861.

Os postos de trabalho femininos do Paraná representam 40,13% dos 97.769 empregos gerados para mulheres em toda a região Sul do País desde o início do ano. Santa Catarina registou saldo de 31.818 carteiras assinadas e o Rio Grande do Sul, 26.715. O Estado também ficou à frente da Bahia (24.929), cuja população é maior.

As 39.181 vagas ainda representam 42,8% do total de 91.400 novos postos de trabalho no Estado de janeiro a agosto.


No mês de agosto, de acordo com o relatório, o Paraná registrou saldo positivo de 6.674 novos empregos para mulheres, repetindo a quarta posição no ranking nacional. Novamente os estados de São Paulo (31.424), Minas Gerais (9.399) e Rio de Janeiro (7.893) ocuparam as três primeiras posições. O Paraná ficou em primeiro na região Sul, seguido por Santa Catarina (4.502) e Rio Grande do Sul (1.471) – nesse último caso, o Estado registrou número 353% superior ao RS.

Para o secretário de Estado do Trabalho, Qualificação e Renda, Mauro Moraes, os dados do Caged refletem o impacto positivo das ações adotadas pelo Governo do Estado para promover emprego e renda . "O Paraná se destaca na empregabilidade de mulheres entre os estados do Sul e no cenário nacional só perde para os estados que possuem populações maiores. Isso quer dizer que estamos no caminho certo, com ações pontuais e adotando medidas eficazes para garantir a elas mais oportunidades no mercado de trabalho", destacou.

Confira os relatórios do mês e do acumulado do ano .